Fundação - Será que Hari Seldon estava certo?

por Andrey da Silva Aires - CRP 07/33087


Fundação é a nova série da Apple TV+ que adapta a aclamada série de livros de Isaac Asimov de mesmo nome. A pergunta que intitula nossa reflexão é feita por todas as pessoas na série, pois o Dr. Seldon previu a queda do império galático com sua Psico-História, essencialmente profetizando uma espécie de fim dos tempos. No entanto, não é sobre isso que vamos falar, já que nem um de nós pode ter certeza do futuro, o que assusta profundamente todos dentro da série também. O foco desta discussão é algo muito menos, mais simples, uma frase dita pelo Dr. quase despretensiosamente em seu julgamento: “vocês são todos iguais, as mesmas uvas destinadas a mesma garrafa…” (tradução livre).


Hari destina esse sermão aos três imperadores que governam a galáxia. Para aqueles que não sabem, esses imperadores são clones genéticos idênticos ao primeiro imperador. O sistema usado por eles é um onde sempre há três clones concomitantemente, sendo eles um jovem, um adulto maduro, e outro já idoso. Sempre que um deles está muito velho, um bebê novo é criado, ou outros dois “avançam” uma posição e o ciclo reinicia.


Esta profecia menor feita por Hari, de que os imperadores não poderiam mudar implica várias coisas: que eles tomariam as mesmas decisões que outros clones tomariam em determinada situação, que a vida de cada um dos clones seria idêntica a dos outros e portanto, não haveria diferenças entre eles, entre tantos outras impossibilidades.


Estou aberto ao debate mas para mim Hari Seldon estava errado, pelo menos quando se trata desta profecia feita aos Impérios. Para sermos justos com o Dr, o fenômeno ao qual ele se refere existe e é chamado no mundo da psicologia de transgeracionalidade. Este é um conceito usado para falarmos de famílias que estipula que alguns comportamentos iguais existem em diferentes gerações dentro de uma mesma família, como alcoolismo, abuso de drogas, carreiras similares ou o gosto por futebol, por exemplo.


Transgeracionalidade é uma forma de explicarmos a passagem de hábitos, ideias, conhecimentos entre outras coisas, dentro de uma família. Podemos considerar que o sistema pelo qual os Impérios existem é uma espécie de família, já que eles referem uns aos outros como irmãos e mais importante, sabemos que os mais velhos ativamente cuidam e ensinam coisas ao mais jovem. Isto de fato faz com que Seldon tenha um argumento: é provável que devido a aprenderem de pessoas que pensam de modo X, um indivíduo qualquer vá agir de modo similar a X.


Mas provável não é o mesmo que certo. Se isto fosse como ele afirma, ninguém tomaria decisões diferentes de seus pais, e mesmo no curso da série vemos que eles discordam sobre o que é importe, afirmam que não vão agir com seu eu mais velho, e tem gostos diferentes uns dos outros. Quem nós somos, o que pensamos, como agimos e o que nos motiva é uma extremamente complexa conjunção de fatores como onde vivemos, quem conhecemos, nossa história familiar, a sociedade a nossa volta, isso tudo além de milhões de situações completamente inesperadas e fora de controle que cada um de nós vive.


Na nossa vida pode ser que isso se apresentem em frases como “ele parece com o pai dele” ou “você está agindo como a sua mãe”, que possivelmente são verdade, é esperado que você seja similar aos seus cuidadores, afinal eles demonstraram como agir e reagir a diversas situações. Isso também significa que você pode se ver agindo de modos que não concorda, mas que são parecidos com alguém da sua família.


A boa notícia é que Hari Seldon estava errado, você não está “destinado” a fazer essas coisas eternamente. É plenamente possível mudar em si mesmo coisas que você herdou de sua família, o primeiro passo sendo que você deve identificar elas. Não é errado ter os defeitos ou cometer os erros da nossa família, mas é importante que você compreenda: isso não é destino, não é algo imutável e definitivamente não é uma prisão à qual você foi confinado.


O Dr. Seldon mesmo admite que sua Psico-História não é capaz de prever a ação de indivíduos. Se esse é o caso, ele também não pode prever a ação de cada uma das pessoas que vai compor o Império, assim como não pode dizer para você que seu destino é repetir as coisas que sua família faz e o que você não gosta ou concorda.


Andrey da Silva Aires é psicólogo clínico de indivíduos, famílias, casais e pós graduado em psicologia e sexualidade. Também é criador da página @andrey.aires.psicologia no Instagram e Facebook onde desenvolve um trabalho focado em abordar conceitos da psicologia de um jeito simples, muitas vezes usando a cultura pop como paralelo para nossa vida.


11 visualizações

Posts recentes

Ver tudo