Todos temos um pouco de Lúcifer

Por Andréia Dorneles Severo - CRP 07/30479


Apesar de Lúcifer ser tão poderoso, por vezes conseguimos ver as fragilidades e o quanto o mesmo se sente perdido em meio a uma confusão de novos sentimentos e situações, isto ocorre não só nos encontros com sua terapeuta Linda, ou com a detective Chloe, mas com todos que estão a sua volta.

Além de Lúcifer, percebemos em outros personagens não humanos, como Mazikeen e Amenadiel, o quanto entrar em contato com os próprios sentimentos e emoções pode ser um caminho tortuoso, dolorido, porém de grande desenvolvimento e descoberta quando se está disposto a enfrentar seus medos.

Quantas vezes a ideia de fuga e o não olhar para como você está se sentindo pareceu mais simples e fácil do que encarar a realidade, mas poderia ser só mais um engano, não é mesmo?

Conflito, emoção, poder, fracasso, coragem, vulnerabilidade. É o que é, é o que constitui você como ser humano, é o que me constitui como ser. Somos uma intensidade de características, vezes boas e vezes desconfortantes. Mas está tudo bem! O importante é poder olhar a fundo para tudo isso e assim, poder descobrir quais são as formas para lidar.

O trabalho da terapia, somente quando olhamos para dentro, lá no fundo do nosso íntimo, entrando em contato com os seus anjos e demônios que poderemos encontrar algumas respostas sobre as questões que causam angústia.

Há momentos em que esse processo pode ser vivido por você sem que tenha um profissional lhe auxiliando, mas ter alguém para te ajudar a enxergar o que não está claramente visível pode ser uma experiência valiosa e transformadora.


Andréia Dorneles Severo, Psicóloga formada pela PUCRS, Experiência em atendimentos a crianças, adolescentes e adultos, grupos terapêuticos, formação pessoal.

Cursos em Especialidades Médicas pelo HCPA, Competências Profissionais, Emocionais e Tecnológicas para Tempos de Mudanças pela PUCRS.

28 visualizações

Posts recentes

Ver tudo