The Alienist: 5 razões pelas quais John e Sarah são perfeitos juntos e outras 5 por que não são.

Por Patrícia Atanes de Jesus Bernardinelli - CRP: 06/37052


Vamos dar uma olhada em como Sarah e John da série “The Alienist” fazem uma combinação perfeita que até parecem predestinados e como seria melhor eles seguirem caminhos separados.


Além da emocionante perseguição de um serial killer em ambas as temporadas, o que esperamos e queremos mesmo saber é sobre o relacionamento de Sarah Howard (Dakota Fanning) e John Moore (Luke Evans).


A primeira temporada deixou os espectadores nervosos pela forma como Sarah e John deixaram seu relacionamento. A segunda temporada só complicou ainda mais os sentimentos de um pelo outro, porém, novamente, para frustração de muitos, o relacionamento entre eles não evolui e ambos reprimem seus verdadeiros sentimentos.


Vamos falar sobre as boas razões para que eles fiquem juntos:

1) Ambos têm a necessidade de Justiça: Estar com alguém que não tem a mesma bússola moral que você pode ser complicado. Felizmente, Sarah e John possuem a necessidade de fazer o que é certo e justo. Apesar de John ser apenas um jornalista e Sarah, na primeira temporada, secretária, eles se colocam na linha de frente do enredo da série juntamente com Laszlo. Ambos estão dispostos a ir atrás de um assassino serial para salvar vidas inocentes.

É uma característica que os torna um bom par. Eles são bons e morais no coração. Em ambas as temporadas, John e Sarah sabem o que é certo e fazem o que for necessário para alcançar a justiça.

2) John não quer que Sara mude: Uma das principais razões pelas quais nos apaixonamos pela personagem de Sarah é porque ser uma mulher forte e independente. Ela desafia a autoridade e faz sua voz ser ouvida em um mundo dominado por homens. É algo que John também admira muito. Na primeira temporada, John por vezes questionou suas ações como sendo irracionais.

De forma geral, John nunca esperou que Sarah mudasse quem ela era. Ele nunca a pressiona para ser uma dama ou submissa de forma alguma. A persona "quebrando o padrão" de Sara sempre despertou muito orgulho em John.

3) Eles se ajudam a curar seus traumas emocionais: Tanto Sarah quanto John têm um passado triste ligado aqueles que amaram. Sarah cresceu muito apegada ao pai e foi com ele que aprendeu a se cuidar e beber uísque. John cresceu muito próximo de seu irmão.

Ambos compartilham uma cicatriz emocional. O pai de Sarah decidiu tirar a própria vida com um tiro na cabeça e John perdeu seu querido irmão e nunca se recuperou totalmente. Apesar das feridas emocionais, Sarah e John de alguma forma encontram uma maneira de serem eles mesmos quando estão juntos. Eles falam abertamente, provocam-se intelectualmente e ajudam-se mutuamente a gerir suas turbulências interiores. Quando juntos, eles se sentem um pouco mais inteiros.

4) Eles se protegem em todos os sentidos: Laszlo, John e Sarah são bons amigos e estão sempre dispostos a apoiar um ao outro. A relação de John e Sarah é mais baseada no amor e na emoção. Vemos em vários momentos na primeira temporada John protegendo Sarah. Pequenos gestos como colocá-la um pouco atrás dele como um escudo diante de uma situação de perigo.

Na segunda temporada, Sarah também faz muita proteção. Agora, como uma detetive particular, Sarah aprendeu a cuidar ainda mais de si mesma. Num confronto com o líder de uma gangue da cidade, Sarah é quem salva John. Ela aponta sua arma com uma mão e um olhar firme e John fica atrás dela.

5) Sacrifício pela felicidade do outro e seu respeito um pelo outro: (Aviso de spoiler). Às vezes, aquele que você mais ama é aquele que você tem que deixar ir. A segunda temporada testou o relacionamento de John e Sarah. Embora John esteja noivo, eles não podem afastar seus sentimentos um pelo outro. Parece que John está pronto para arriscar sua reputação para finalmente estar com Sarah.

Sarah também está disposta e aberta a aceitar esse sentimento, contanto que John tenha a iniciativa. Mas no final, o amor deles não pode florescer. John descobre que sua noiva está grávida. Sarah o parabeniza. Embora chateada, ela percebe que isso é o melhor. É uma oportunidade para John ser verdadeiramente feliz e lidar com a perda de seu irmão. No final, eles respeitam as decisões um do outro na vida.


E as razões do porquê não podem ficar juntos:

1) Eles não podem viver se esforçando para ficar juntos: Todos os espectadores esperavam o momento em que Sarah e John finalmente dariam esse salto de fé, desde os primeiros episódios da série. Infelizmente, na primeira temporada, apesar de John deixar suas emoções claras, eles não ficam juntos. Ambos sabiam que tinham sentimentos inegáveis, mas nenhum deles chegou ao ponto de tornar o relacionamento concreto.

O mesmo, se repete na temporada seguinte. Ambos vivem em pontas opostas de uma corda em chamas que acaba se apagando, ou sufocando próximo do final. Nenhum dos dois pode ou consegue tomar a decisão firme de estar junto e ir contra o que todo mundo pensa.

2) John se importa com o que as pessoas pensam: Embora John achasse a personalidade de Sarah revigorante, ele se importava com o que as pessoas pensavam sobre Sarah, assim como sobre ele. Isso é mais evidente na primeira temporada, visto que ele ainda se dedicava a fazer seu nome conhecido na área do jornalismo.

Na segunda temporada, John também é cauteloso com o que as pessoas pensam dele. Ele está noivo da filha de um poderoso dono de jornal. Sua constante ausência nos jantares para ficar com Sarah e Laszlo (Daniel Brühl) muitas vezes o deixava um pouco distante com os convidados e despertava desconfianças.

3) Sarah pode ser impulsiva: A personalidade geral de Sarah não é a de uma senhora submissa do final do século 1800. Ela cresceu com o pai e aprendeu a não ter medo dos homens. Muitas vezes isso também significa que ela é impulsiva e firme em suas ações. Ela não tem medo de ir atrás de um possível suspeito sozinha e em qualquer lugar. Isso leva Laszlo e John a descobrirem e correrem para ter certeza de que ela fique bem.

Sua impulsividade também faz com que John tema por sua vida e em vários momentos se preocupe com ela. Ao mesmo tempo, John sabe que ela nunca irá mudar. John teme que Sarah possa um dia ser gravemente ferida.

4) A necessidade de Sarah ser Independente: Desde a primeira vez que somos apresentados a Sarah Howard, fica claro que ela não é uma "dama adequada” para a época. Em vez disso, ela é espirituosa, inteligente e independente, tem capacidade de se defender e se sustentar sozinha. Ela até se torna a primeira secretária mulher da força policial. Sarah cresceu com uma mentalidade de não deixar homem ou qualquer pessoa diminuir suas capacidades apenas pela sua condição de ser mulher.

Isso às vezes provou ser um problema para o relacionamento de John e Sarah. Sarah não podia renunciar a sua independência. O mesmo acontece na 2ª temporada, agora com sua a própria agência de detetives, Sarah sente que tem muito mais a fazer para mudar a percepção que as pessoas da época têm sobre as mulheres.

5) Eles querem coisas e situações diferentes para seus futuros: Na primeira temporada, Sarah deixou claro que não se via casando tão cedo. Quando John a pede em casamento, ele fica chocado ao saber que ela não teria considerado isso. A segunda temporada complicou ainda mais as coisas.

John quer ficar com Sarah, mas ela argumenta que ele quer uma boa vida doméstica, o que significa uma esposa diligente, filhos e um lar estável. Algo para o qual ela não está necessariamente pronta. No final, Sarah deixou John para que ele pudesse ter o que mais deseja.


Patrícia Atanes de Jesus Bernardinelli é Psicóloga Junguiana com Especialização em Terapia Sistêmica Familiar e Avaliação Psicológica, além de Psicologia Jurídica e Criminal Profiling – Psicologia Investigativa.


Atende Crianças, Adolescentes e Casais em consultório particular em São Bernardo do Campo/SP.


Atua em casos da vara da família ou da infância como perita ou auxiliar técnica de acordo com a solicitação do fórum ou de uma das partes.


Seus interesses estão voltados para relacionamentos, transtornos e síndromes diversas que atingem os adolescentes (incluindo depressão, suicídio).


Sua paixão está no entendimento do funcionamento da Psique e seus simbolismos além da busca dos conceitos e preceitos psicológicos na literatura e cinema.


Acompanhe seu trabalho em:

www.psicosignificar.psc.br

www.facebook.com/psicosignificar

www.instagram.com/psicologa.patriciaatanes/

email: patriciaatanes.psi@gmail.com

149 visualizações

Posts recentes

Ver tudo