Shadowhunters: Jace e a sua jornada de herói

por psicóloga Patrícia Gimenez, CRP 06/105575


Assistimos muitas vezes em séries e filmes a trajetória do herói se apresentando com o nascimento humilde, mas milagroso ou importante, provas sobre sua força, sua ascensão ao poder, sua luta e bravura contra as forças do mal, a postura frente a tentação e seu declínio frente a um problema gerado por um sacrifício e sempre morre. Com essa trajetória repleta de heroísmo, vou falar de Jace Wayland, com muito mistério e romantismo. Mas, prometo que não terão mortes!


Os shadowhunters são metade humano e metade anjo, guerreiros que protegem os mundanos (humanos) do mundo das sombras (demônios) e mantém o submundo em equilíbrio (feiticeiros, lobisomens, vampiros, fadas, seelies, etc).


Jace Wayland, um dos heróis da série shadowhunters. Sua saga tem como objetivo manter o equilíbrio entre o submundo e mundanos e evitar que a maldade vença. Até encontrar Clary, protegê-la entra como uma das coisas mais importantes em sua vida. Quando criança foi criado por Valentine outro shadowhunter, tinha pensamentos progressistas e não concordava com as regras, gostaria de criar um novo mundo. Mas com o tempo sua ideologia o tornou maldoso e inimigo. Abandonou Jace, e a família Lightwood os adotou e assim cresceu ao lado de Alec (irmão e seu parabatai) e Isabelle (irmã). Jace foi treinado para defesa e ataque, com espírito de guerreiro, irônico, inteligente, impecável em seu trabalho, engraçado, implacável, focado e pouco sentimental. Essa parte do sentimentalismo mudará assim que encontrar seu verdadeiro amor, Clary Fairchaild.


O herói precisa passar por várias provas para aprender algo. Mas, afinal o que ele representa?


Será que ele precisa entender suas fraquezas? Qual foi sua trajetória?


Ele precisa viver sua jornada para conquistar algo. Será que ele consegue ou inicia uma nova jornada?


Então venha comigo nesta leitura e aguarde os spoilers!


Assim como citado na série Desperate Housewives: “Todos nós admiramos os heróis por razões diversas. Às vezes por sua coragem, às vezes por sua ousadia, às vezes por sua bondade. Mas, sobretudo admiramos os heróis porque, em algum momento, todos nós sonhamos em ser salvos”


O herói precisa passar por várias provas até conseguir conquistar algo. Assim como na citação esperamos o mesmo de Jace, que ele possa salvar o submundo assim como Clary e poder viver em paz com ela. Mas, antes disso ele precisa caminhar em sua jornada que não será fácil. Em vários momentos apresenta toda a sua fúria, ironia ao passo que traz amabilidade nos gestos.


Até conhecer Clary, nosso herói acreditava que o “amor enfraquece”. Após se apaixonar aprendeu que o amor por ela o mantinha mais forte. Dessa forma ele iniciou um processo de altruísmo, tentando protegê-la e defendê-la a qualquer custo, começou se abrir para o novo.


A jornada é extensa, mas vou resumir e salientar alguns trechos. Em sua caminhada além de proteger os mundanos e o submundo, auxiliou na trajetória de Clary a se inserir no mundo das sombras, descobrir sobre a família e história da amada. Lutou na busca dos instrumentos mortais (importantes no mundo das sombras), lutou contra Valentine e auxiliou em sua captura. Ajudou a salvar Simon Lewis dos Vampiros, encontrar Jocelyn a mãe de Clary (raptada por Valentine). Acreditou que perderia Alec e que poderia ser irmão da sua amada. Descobriu sobre o passado da sua verdadeira família (Os Herondale). Colaborou na luta para salvar o mundo de Jonathan e Lilith (rainha de Edom – inferno). E claro que a saga do nosso herói não são flores, em dado momento ele é hipnotizado por Lilith e tenta ajudar na destruição do mundo. Mas, como a bondade sempre vence, ele finalmente se livra dos inimigos na tentativa de manter o equilíbrio no submundo para conquistar uma vida em paz com Clary.


Afinal “para os Shadowhunters a descida até o inferno é fácil”!


Então, vamos os pontos que quero ressaltar. Quando Jace acredita que sua amada é sua irmã, ele perde o rumo pois não consegue enxergar Clary como irmã e sim como o amor da sua vida. A ligação deles é muito forte e com isso ele se entrega ao guerreiro que há dentro dele, como se perdesse o sentido e acreditando até a seguir os passos do seu suposto pai Valentine. Mas, o amor vence e o fortalece mais uma vez quando descobre que Clary não é sua irmã.


Um dos pontos que podemos encontrar e de importância é que em determinado momento Alec se machuca tentando salvar Jace. Eles são parabatais, que na linguagem Shadowhunters é quando você escolhe uma pessoa para ser seu parceiro eterno com uma forte ligação, é feita uma cerimônia e é concedido uma runa. No decorrer da jornada se um morre o outro perde uma parte de si. E Alec além de parabatai é simbolizado pelo conselheiro do herói tão encontrado nas sagas e filmes. Apesar de Jace não seguir muito os conselhos de Alec, ele traz consigo uma importância em sua vida com conselhos, proteção e liderança.


Vou enfatizar um pouco a história de Clary Fairchaild, pois não tem como falar de Jace sem Clary! Ela foi criada como uma mundana pela mãe Jocelyn, que escondeu sobre o seu passado no mundo das sombras. Ela precisou fugir com Clary de Valentine que fazia experiências nas gestações de Jocelyn aplicando sangue de demônio na tentativa de criar novos Shadowhunters, mais fortes e implacáveis. Mas ele conseguiu apenas com um filho Jonathan Morgenstern (humano, metade anjo e demônio). Jocelyn conseguiu manter Clary longe do mundo das sombras, mas em seu aniversário de 18 anos começou a ter a “visão” Shadowhunter e aí começou a sua jornada. Quando ela se inseriu neste mundo se apaixonou por Jace e com o passar do tempo se transformou em uma guerreira e desenvolveu um “dom” concedido pelos anjos, ela conseguia criar novas “runas” que são marcas que simbolizam cada ação dos Shadowhunters como invisibilidade, cura, agilidade, etc). Mas, como uma heroína tentando salvar a todos utilizou em demasia suas criações e o anjo Raziel a “castigou” retirando sua memória e esquecendo totalmente o mundo das sombras.


“A lei é dura, mas é a lei”


Quando finalmente Jace acredita que pode ser feliz com Clary ele precisará abrir mão dela para que isso aconteça. Sim, nosso herói sofreu muito em sua jornada! Pois, quando ela perdeu a memória, retomou a sua vida mundana. Teoricamente eles não ficariam mais juntos, todos acreditavam que Jace precisaria seguir em frente e deixar sua amada viver sua vida. Mas, nosso herói não a abandonou em nenhum momento, protegeu e cuidou de Clary mesmo que de longe. Após 1 ano enfrentando a solidão e lidando com seus sentimentos, Jace ativou sua runa de invisibilidade e visitou Clary, e ela finalmente conseguiu enxergá-lo, sua visão shadowhunter estava de volta. E assim se reencontraram. Será que os anjos concederam esse dom novamente a ela? Essa resenha fica para uma próxima vez.


Com essa trajetória o herói representa o salvador do mundo, aquele que podemos amar e odiar, que defende as pessoas que ama e que não tem medo da luta, oferece coragem e altruísmo. Ele precisou entender que o amor não o enfraquece, o fortalece e a cada vez que sentia esse amor ele conseguia ser mais forte. Em sua jornada ele conquista seus desejos de vencer o mal e manter um equilíbrio no submundo. Mas, ele precisou entender que amando verdadeiramente, precisaria deixar Clary caminhar sua própria jornada. E isso não significava perdê-la, apenas deixar seu amor reencontrá-la.


Patrícia Abate Gimenez é Psicóloga Clínica (CRP 06/105575), tem 31 anos e atua na reigão do ABC Paulista – SP. Realiza atendimento individual com adolescentes e adultos e orientação vocacional/ profissional.

Contatos:

Telefone: (11)9.9933-4498

E-mail: psicologapatriciagimenez@gmail.com

Facebook: Psicóloga Patrícia Gimenez

Instagram:@psicologa_patricia_gimenez

0 visualização

Blog escrito por psicólogas e psicólogos de todo Brasil.

O conteúdo apresentado nos textos, assim como opiniões e interpretações sobre as séries, são exclusivas de seus autores. Não representam o entendimento de todos os profissionais.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram