Sex Education | A Importância Da Representatividade De Diferentes Masculinidades

psicólogo Rodolfo Sampaio, CRP 06/111804


Há pouco mais de um mês chegava na Netflix a segunda temporada de Sex Education, mas isso nem é tão relevante assim. Importante mesmo é você saber que a série não fala apenas de sexo e sim de histórias, usando a sexualidade humana como pano de fundo.


Ok! Agora que você sabe disso, precisa saber também que Otis (personagem principal) e companhia, podem ser o ponto inicial para você falar e pensar mais sobre masculinidades.


Não pretendo dar spoiler (ufa! então tá liberada a leitura pra quem ainda não maratonou), por isso não irei citar muitos nomes, afinal a reflexão é para os amantes de Sex Education e aos que ainda não conhecem a série, mas também não querem saber de detalhes.


Assim como muitas pessoas, adoro séries. Admiro como muitas delas conseguem abordar temas importantes de uma maneira simples, nos prender um dia todo no sofá sem vermos o tempo passar e acordarmos apenas quando o último episódio acaba.


Sex Education com certeza foi uma dessas séries para mim, só que com uma pitada especial. Ela tocou em um ponto que me instiga e me faz querer falar mais e mais sobre ele o tempo todo: masculinidades.


Caso não esteja claro, masculinidade é uma palavra usada para citar tudo aquilo que se refere ao sexo masculino, ou seja, “coisas de homem” (alerta de ironia). É importante lembrar que consideramos tanto fatores biológicos quantos sociais para definir o que faz, ou não, parte do masculino.


Apesar de não discordar totalmente dessa definição, assumo que vejo ela como limitadora, porque na verdade o que existem são masculinidades, afinal, é impossível acreditar que todos os homens possuem as mesmas características biológicas e sociais.


E é exatamente nesse ponto que a série foi fantástica, ela apresenta uma variedade incrível de possibilidades de “ser homem”, exatamente como acredito ser na vida real.


Se você tem mais de 30 anos, com certeza passou por muitas situações em que o machismo determinou como os homens deviam agir. Como estou dentro dessa faixa etária, sei que o machismo foi, e ainda é, o único modelo de masculinidade para muitos homens.


Ah! E antes que eu esqueça, machismo é todo comportamento que supervaloriza o que vem do sexo masculino, diminuindo o que vem do feminino. E apesar de ficar tentado em falar mais sobre machismo, vou apenas indicar a você o documentário “O Silêncio dos Homens”, disponível no Youtube.


Como modelo que acredita haver apenas um jeito de existir, o machismo - assim como qualquer outro com essa mesma crença - é altamente prejudicial, aos homens e mulheres.


Nesse sentido, Sex Education nos permite conhecer homens mais sensíveis, outros com dificuldades em se relacionar com os pais, aqueles que possuem referências masculinas bem tóxicas, os que cedem as cobranças para agirem de determinada forma, alguns com poucos amigos, muitos amigos, hetero e homossexuais, uns tímidos, alegres, nerds, atletas, intelectuais, rígidos e por aí vai.


Com um contexto escolar e personagens predominantemente adolescentes, é fácil nos enganar supondo que as questões apresentadas são exclusivamente juvenis e muitas das situações nos levam a torcer o nariz sobre as dúvidas e receios dos personagens não serem demandas de um homem mais velho, mais maduro.


Se você pensa assim, te convido a refletir sobre os comportamentos dos homens com quem tem contato, e pensar se de fato eles não sofrem com nada, se não apresentam algum tipo de questão quanto a masculinidade. Apesar de não poder afirmar, acredito que sim, todos os homens possuem questões quanto ao seu papel social masculino, porque esse tipo de questão tem origem na nossa humanidade e não apenas no sexo biológico de cada um.


Sabe qual a moral da história? Todas, isso mesmo, todas as maneiras de ser homem são possíveis e, mais que isso, são reais e podem sim ser saudáveis. Falta aceitarmos isso, olharmos para um homem, esteja ele com 3, 20 ou com 60 anos e reconhecermos seu valor, independente da roupa que está usando, do (a) parceiro (a) sexual que tem, da profissão, se gosta de esporte ou não, se usa cabelo longo ou curto, se brinca de boneca e carrinho ou se gosta de alguma cor em especial.


Sex Education fala de machismo, masculinidades, sexualidade e muito mais, ela fala de possibilidades reais e nos dá a opção de olharmos para as pessoas ao nosso redor com mais empatia.


Então se você se interessa por esses assuntos, corre pra assistir e não esquece de me falar o que achou!


Rodolfo Sampaio é psicólogo Rodolfo Sampaio (CRP06/111804) com experiência em Saúde Mental, trabalho com atendimento clínico, palestras e grupos com temáticas relacionadas a qualidade de vida, e em especial masculinidades. Coautor do livro: "O poder da autoestima" e idealizador do projeto "Mais Psicólogos"

Email: maispsicologos@gmail.com

Instagram: @psirodolfosampaio

Youtube: Mais Psicólogos

128 views

Blog escrito por psicólogas e psicólogos de todo Brasil.

O conteúdo apresentado nos textos, assim como opiniões e interpretações sobre as séries, são exclusivas de seus autores. Não representam o entendimento de todos os profissionais.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram