Midnight Diner – Os valores vivenciados no encontro

por Luiz Guedes – Psicólogo CRP 07/30195


Midgnight Diner – Tokyo Stories é uma série da Netflix baseada em um mangá de mesmo nome, escrito por Yaro Abe. Na história, um homem conhecido apenas como “Mestre” é dono de um pequeno restaurante em uma pequena rua japonesa, porém com um diferencial, o restaurante funciona da meia noite até às sete da manhã, como dito na introdução:

“Quando as pessoas terminam seu dia e correm pra casa, é quando meu dia começa. Meu restaurante funciona da meia noite até às sete da manhã. É conhecida como "Jantar da meia noite". Tenho muitos clientes? Mais do que esperaria.”

O clima da série é acolhedor com uma trilha sonora incrível, é uma daquelas séries que faz com a gente solte uns suspiros, sabe? Cada episódio é mostrado um tipo específico de comida, inclusive ao final de todos os episódios é ensinado como fazer tal prato de maneira adequada. Mas essa não é uma série sobre comida, por mais surpreendente que seja, é uma série sobre encontros verdadeiros e como é possível vivenciar experiências incríveis a partir de tais encontros.

A partir do restaurante do Mestre, muitos clientes desenvolvem relações das mais variadas intensidades e não apenas relações de amor romântico, mas de encontro com antigos ídolos de TV, de um ator idoso e decadente que ensinou o jovem astro atual, de um antigo amor que foi embora, uma dançarina de casa noturna que reencontra seu professor mais querido, agora com Alzheimer, uma criança abandonada pela mãe com um pai viciado em jogo, mafiosos e até mesmo o encontro com a morte. Aqui o que importa são as conexões que são criadas e como elas afetam a dinâmica das vidas envolvidas em cada uma dessas conexões. O Mestre os conecta através da sua comida e de seus conselhos, agindo como um sábio misterioso que parece ter suas próprias vivências para resolver.

Para a Logoterapia, a psicologia do Sentido da Vida, existem três caminhos para a realização de Sentidos. Os valores criativos, quando doamos algo ao mundo, o transformando – geralmente com nosso trabalho – para melhor, os valores vivenciais, quando temos experiências verdadeiras ao receber algo do mundo, seja com outros seres humanos, seja com a natureza e também os valores de atitude, quando impossibilitados de realizar os outros dois, somos convidados a nos posicionar frente a sofrimentos inevitáveis. Onde não posso modificar a situação, me modifico a mim mesmo. Quais valores a série nos apresenta? Os três. Os personagens são dotados de sentido de forma incrível, com uma capacidade aflorada de buscar recursos internos e externos para despertar tais valores. Acredito que Viktor Frankl gostaria bastante dessa série.

Ela aborda temas relevantes não apenas da época que o mangá foi feito, mas que seguem muito atuais, principalmente em um mundo com tanta diversidade que precisa conviver em conjunto para crescer. Temos temas como transsexualidade tratado de forma natural, a partir das vivências das pessoas transexuais representadas com respeito ímpar na série. Temos relações tóxicas de amor que precisam ser superadas. Relações familiares quebradas a partir de decisões mal elaboradas. Fuga de responsabilidade. O valor de se posicionar de maneira ativa frente a vida, uma das maiores lições que o Mestre passa para todos que estão em contato com sua comida, seu restaurante e sua sabedoria.

O Mestre prepara qualquer coisa que seus clientes desejam, desde que tenha os ingredientes, isso cria uma ligação próxima onde os clientes regulares chegam a levar os ingredientes do que desejam comer. Quando prestamos atenção em todas as interações geradas a partir do restaurante é possível identificar como as realizações de valores criativos do Mestre, ou seja, o que ele doa ao mundo, acabam por modificar e auxiliar outros seres humanos a entrarem em contato com aspectos peculiares de si mesmos, com memórias através da comida preparada com carinho. Os valores criativos fazem o Mestre atingir sentidos ao se voltar para algo além de si mesmo, capacidade autotranscendente descrita por Frankl na Logoterapia como primordial para descobrir os sentidos que a vida oferece. Mais do que preparar uma comida especial, o Mestre abre espaço para que seres humanos visitem a si mesmos, não apenas em memórias do passado, mas em potências para realizações futuras.

Os valores vivenciais – o encontro real com o que o mundo tem a oferecer – é o aspecto principal da obra, os valores mais explorados e que fazem com que nós, os espectadores, também vivenciamos tal encontro. Assistir irmãos que a anos não se veem por escolhas do passado se reencontrarem a partir do Jantar da Meia Noite é uma experiência que encanta, assim como o encontro vivenciado pelo jovem que é fã de uma antiga atriz que hoje é motorista particular e pode, através deste encontro, vivenciar não apenas o afeto do fã, mas agir para reencontrar amigos do passado e reestabelecer relações no presente que são direcionadas ao futuro.

Por fim, os valores de atitude se manifestam quando situações de sofrimento inevitáveis são apresentadas pelos seres tão humanos que vemos na história. Um filho que perde a mãe, um professor com uma doença incurável e novas visões de mundo e reencontros que surgem de modificações pessoais frente a contextos que não podem ser mudados.

Como diria Frankl: “Quando uma situação for boa, desfrute-a. Quando a situação for ruim, transforme-a. Quando a situação não puder ser transformada, transforme-se”.

A partir das transformações necessárias os personagens vão interagindo e se transformando, mostrando que as diversas situações da vida, por piores que possam parecer, ainda são dotadas de sentidos a serem descobertos.

Midnight Diner – Tokyo Stories é uma obra complexa, significativa e densa, ao mesmo tempo que passa um clima leve, com uma trilha sonora que nos deixa em paz ao assistir e, por fim, acaba sempre por deixar o coração quentinho, mesmo nas situações onde o final não é tão feliz assim. Se tu gostas de ficar com aquele sentimento de que a vida vale a pena, essa é uma série indispensável.

Espero que faça sentido para ti, assim como fez tanto sentido para mim. Que aproveite bastante as refeições do Mestre.



Luiz Guedes é Psicólogo Clínico. Especialista em Psicologia Existencial Humanista e Fenomenológica, Pós-Graduando em Logoterapia e Análise Existencial e Realiza abordagem integrativa entre Logoterapia e Análise do Comportamento, unindo questões existenciais ao caráter prático de mudança no mundo concreto. Criador da página Diário do Sentido, onde faz reflexões sobre existência e Sentido da vida a partir de cultura pop como animes, quadrinhos e séries.

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo