A visão psicológica por trás da vida de Kakashi

por Andréia Dorneles Severo - CRP 07/30479


Após assistir novamente o arco do Kakashi em sua época na Anbu, reparei algumas coisas que não havia notado antes. É comum nos fascinarmos com os poderes de algum personagem, força ou carisma e esquecermos que por trás de tudo isso existe um ser humano com sentimentos e razões.


Desde pequeno, Kakashi era visto como um prodígio. Aos cinco anos de idade, ele já mostrava seu talento com jutsus que exigiam uma certa habilidade do usuário, conseguindo se graduar na Academia Ninja com apenas 5 anos de idade e, 1 ano depois, elevar sua posição para Chuunin. Entretanto, nesse curto período de tempo seu pai, Hatake Sakumo, cometeu suicídio, mudando totalmente a personalidade do jovem prodígio. Por ter escolhido salvar seus companheiros ao invés de dar continuidade à missão, Sakumo foi alvo de críticas por todos de Konoha, inclusive daqueles que ele havia salvo. Para fugir da angústia e encontrar a paz, ele decide tirar a própria vida. Kakashi, que priorizava a vida de seus amigos, decide seguir o caminho oposto ao ter como objetivo completar a missão sob todas as coisas.


Após a morte de Sakumo, vemos um Kakashi completamente antissocial, isolado e frio. A escolha de evitar pessoas não significava rejeição ou ódio por elas. Sua preocupação era que, ao criar laços e amizades, ele acabaria tendo o mesmo fim que seu pai. Durante seu período no Time Minato, Kakashi encontrou grande dificuldade para trabalhar em equipe. Quando ele finalmente percebeu que era necessário cooperar com seus companheiros, ele vivenciou uma tragédia na Ponte Kanabi. A suposta morte de Óbito, alguém que ele acabara de reconhecer como um amigo, o faria lembrar de seus antigos princípios, entendendo o valor da amizade. Pouco tempo depois, Kakashi não só presenciaria a morte de Rin, como também seria o seu causador. Quando Rin pula na frente de seu Chidori, Kakashi vê mais um laço sumindo de sua vida. Esse momento, aliado às antigas experiências, foi o estopim para que Kakashi desenvolvesse PTSD, o que fez com que ele passasse a ter pesadelos com Rin e sofresse crises de ansiedade em meio a batalhas. Kakashi também sofreu com pesadelos e alucinações, sendo visto lavando as mãos constantemente para retirar o "sangue" de Rin que ele pensava ver.


Minato, agora Hokage e esperando um filho com Kushina, colocou Kakashi na Anbu para tentar recuperá-lo, agravando ainda mais o seu psicológico. As constantes mortes presenciadas por ele o faziam lembrar da morte de seus companheiros. Utilizando o Sharingan de Obito, Kakashi tentava ver esperança e sentido em continuar vivendo. Para piorar, com a morte de seu sensei, ele se tornou o único sobrevivente do Time Minato, ocasionando o que chamamos de Síndrome da Culpa. Ele sentia culpa por Óbito ter "morrido" em seu lugar, por ter matado Rin e por não ter conseguido salvar Minato e Kushina. Por fim, ele sentia culpa em viver.


É importante ressaltar que enquanto passava por dificuldades pessoais, Kakashi sempre teve amigos por perto, como Kurenai, Asuma e, especialmente seu rival, Guy.


Uma curiosidade: na light novel de Sakura, Kakashi lhe dá a chefia de um projeto para construir uma clínica de reabilitação mental para crianças em Suna, afirmando que "entende que o trauma mental é algo pesado".


Os reflexos dos ensinamentos de Óbito eram vistos quando Kakashi reprovava os estudantes da Academia no teste dos guizos. Ele prometeu para seus falecidos amigos que não deixaria o mesmo erro acontecer novamente. Ele só aceitaria alunos que trabalhassem em equipe, ao contrário dele mesmo em sua juventude. Quando Kakashi pensou que não conseguiria aprovar nenhum grupo de estudantes, eis que surgem Sasuke, Sakura e Naruto. De início, ele os acha um "bando de idiotas", mas durante o teste, em que Sasuke e Sakura compartilham o almoço com Naruto, Kakashi vê neles o trabalho em equipe que procurava. É neste momento que Kakashi finalmente dá um passo para superar seu trauma e seguir em frente com novas pessoas.


Podemos concluir que, apesar dessas experiências, Kakashi deu a volta por cima e se tornou aquele que guiou a nova geração, tendo como base esperança, amizade e paz.



Andréia Dorneles Severo, Psicóloga formada pela PUCRS, Experiência em atendimentos a crianças, adolescentes e adultos, grupos terapêuticos, formação pessoal.


Cursos em Especialidades Médicas pelo HCPA, Competências Profissionais, Emocionais e Tecnológicas para Tempos de Mudanças pela PUCRS.


32 visualizações

Posts recentes

Ver tudo