A história de Naruto

Por Andréia Dorneles Severo - CRP 07/30479


Naruto é um jovem ninja que tem uma busca constante por reconhecimento, apesar do seu passado, o personagem não se deixou abalar, buscou superar todos os seus problemas e alcançar seu maior objetivo, se tornar um líder da vila onde mora. O mesmo passa sua infância sendo negligenciado por todas as pessoas de sua vila, pois as pessoas temem com o que o mesmo carrega dentro de si. Devido aos anos de isolamento e desprezo que ele recebeu de sua aldeia, Naruto sofreu intensamente na sua infância, levando-o assim a construir sua personalidade, tendo importantes decisões e fortes convicções de suas crenças. Mesmo passando por muitas dificuldades, Naruto nunca deixou perder seu brilho e seu "estilo ninja". O mesmo é usado, sem valores morais pré definidos.


Naruto então se dedica para se tornar o orgulho da vila, o mesmo costumava fazer brincadeiras ao redor de sua aldeia apenas para obter a atenção de que precisava, assim nada tirava a sua autoconfiança e determinação à tornar-se um ninja de respeito, pois assim seria reconhecido por todos como alguém importante.


Foi então que Naruto trabalhou duro para ganhar todo o reconhecimento que desejava. Com o passar do tempo passa a mudar, e através do seu jeito encantador acaba conquistando todas as pessoas ao seu redor. O mesmo faz o que sente vontade, sempre brincalhão e com aquele forte afeto pelas pessoas que ama.


Naruto é uma pessoa tão humanizada que acaba tomando as dores de cada um dos personagens e sempre motivando eles a não sentirem ódio e desprezo, o mesmo é dito ter uma personalidade que atrai as pessoas a ele, tendo uma amizade inspiradora e de lealdade que a maioria das pessoas encontram nele através de seus atos de bondade e sinceridade genuína que pode mudar toda visão do mundo de um homem.


Naruto lembra muito aquelas pessoas que entram em um local e são notadas pela sua energia, pessoas que querem mudar o mundo ultrapassando os conceitos pré estabelecidos, pessoas que parecem crianças, mas que no fundo são são mais maduras que os adultos, mais vivas e não possuem aquela indagação de dizer algo ou comportar-se bem.


Andréia Dorneles Severo, Psicóloga formada pela PUCRS, Experiência em atendimentos a crianças, adolescentes e adultos, grupos terapêuticos, formação pessoal.


Cursos em Especialidades Médicas pelo HCPA, Competências Profissionais, Emocionais e Tecnológicas para Tempos de Mudanças pela PUCRS.


22 visualizações