Working Moms- contém pequenas doses de spoiler.

por psicóloga Cinthia Rebouças – CRP 23/001197


Do que é capaz uma mulher no puerpério? O período posterior ao parto pode afetar as mulheres de forma diferente devido as intensas mudanças - hormonais, físicas e psicológicas - que ocorrem nesta fase. Passados os primeiros meses após o parto, é comum surgirem os conflitos em relação ao retorno da vida profissional.


Já no primeiro episódio a pergunta vem à tona: Qual é o segredo para fazer tudo isto dar certo? A licença maternidade terminou e é hora de voltar ao trabalho. No Canadá, a licença pode ser compartilhada entre os pais, mas a mãe precisa tirar uma licença mínima que inclui um período antes do parto. Na série eles citam o retorno em um período de 5 meses após o parto.


Com a maravilhosa e moderna cidade de Toronto – Canadá como pano de fundo essa série cômica, produzida pela CBC Television e disponível na Netflix, nos envolve no universo de 4 mulheres: Kate, Anne, Frankie e Jenny. Todas elas na faixa dos 30 anos, e que se conheceram na reunião de mães do berçário. Quais conhecimentos são necessários para amamentar? Dar ou não dar fórmula? Ter babá e continuar trabalhando ou abdicar do trabalho para se dedicar ao lar? Quem deve ficar mais tempo com o bebê? Questões como estas são trazidas de forma leve e divertida.


Com histórias que se cruzam, a série nos apresenta os questionamentos, confusões, experiências, alegrias e angústias que acompanham os pais nos primeiros anos do bebê. Situações cotidianas que, no universo de cada um, são muito importantes e presentes. O início da série já entrega os episódios seguintes através da fala: “Tento ser otimista...mas dar conta de tudo parece meio...impossível”. A presença de discursos como estes, traz a tona aquela sensação confortável, de que todas as famílias são, em essência, similares.


Dentre estas mulheres destaca-se Kate, que tem o trabalho como um dos pilares de sua vida, priorizando-o, muitas vezes, em relação ao Bebê. Mesmo com esta dedicação e tendo uma carreira promissora, Kate se vê prejudicada por ter um bebê pequeno, tanto na relação com os clientes e pares, como por não conseguir cumprir com as exigências da Diretoria.


Um processo de depressão pós-parto coloca Frankie em uma situação que requer ajuda e cuidado, gerando a necessidade de uma interrupção em suas atividades, inclusive no trabalho.


Jenny também demonstra dificuldades e não considera a maternidade um período tão mágico assim. Oscilando entre não querer retornar ao trabalho e evitando se comprometer com as necessidades da filha. E Anne, psicóloga e psiquiatra, que vivencia uma gravidez estando com um bebê de 8 meses e uma filha lidando com as questões referentes a Adolescência. Como ter capacidade para lidar com sua vida pessoal e ainda tratar seus pacientes?


Algumas vezes, até de forma estrambólica ou exagerada, são abordadas situações sérias e importantes sobre a maternidade, trazendo à luz as diversas necessidades que as mulheres têm após a chegada de um bebê e a busca em equilibrar a área profissional, as amizades, os relacionamentos, a vida diária e o papel fundamental que a maternidade exige. Ainda assim, concomitantemente, há as expectativas que os outros tem delas enquanto mãe, profissional, amiga e esposa...


Repleta de situações cotidianas, porém não menos complexas, esta série prende a atenção pelo toque de cumplicidade. Provoca reflexões importantes sem tornar pesado. É uma série para assistir sem preocupação entre as exigências do dia-a-dia, proporcionando aquela pequena dose necessária de entretenimento. É para desfrutar!


Cinthia Rebouças é psicóloga, CRP 23/001197, atende em consultório particular, adolescentes e adultos, com ênfase psicanalítica, em Palmas -TO. Possui MBA em Gestão de Pessoas (FGV), experiência como Docente do Curso de Gestão de Recursos Humanos, trabalha na interseção entre psicanálise e Trabalho. Tem experiência em trabalho com grupos, Avaliação Psicológica, na área Organizacional e na Condução de processos de Orientação Profissional. Acompanhe seu trabalho em: https://www.instagram.com/empqnasdoses.psi

https://www.facebook.com/empqnasdoses.psi

23 visualizações

Blog escrito por psicólogas e psicólogos de todo Brasil.

O conteúdo apresentado nos textos, assim como opiniões e interpretações sobre as séries, são exclusivas de seus autores. Não representam o entendimento de todos os profissionais.

  • Instagram - White Circle