The Good Doctor

por psicóloga Lucineide Maria Rocha, CRP 06/128343


O protagonista da série, Shaun, tem Transtorno do Espectro Autista, popularmente Autismo, e também tem uma síndrome rara que é a síndrome de Savanta (pessoa possui uma grande habilidade intelectual aliada a um déficit de inteligência).


Shaun foi uma criança que teve uma infância conturbada, seus pais não sabiam como cuidar de uma criança autista, encontrava em seu irmão o seu porto seguro, o pai muito agressivo matou seu animal de estimação e assim ele conheceu o Dr. Glassman, o qual se tornou seu grande amigo.


Ao perder seu irmão Steve, Shaun se tornou um adulto estudioso, cursou medicina e conseguiu uma vaga de residente no hospital San Jose St. Bonaventure Hospital. onde Dr Glassman trabalhava. Lá teve algumas dificuldades com a equipe médica devido algumas características do autismo, por exemplo, a falta de empatia - ele não consegue se colocar no lugar do outro. Com isso ele não mede as palavras para falar com os pacientes e familiares muitas vezes diz de imediato com o paciente tem dias de vidas contados, não consegue diferenciar o que precisa ser compartilhado com os pacientes ou são informações médicas.


Mas com seu talento consegue diagnosticar casos complexos com facilidade o que o diferencia dos demais residentes e aos poucos vai ganhando credibilidade na equipe médica.


A falta de habilidades sociais deixam Shaun perturbado. O Dr Glassman descobre que está com câncer e Shaun não sabe como ajudar o amigo. Dra Claire se torna uma amiga e aos poucos vai lhe ensinando algumas maneiras de como lidar melhor com as situações. Tudo ia muito bem até o novo chefe de cirurgia chegar ao hospital, o Dr Han, que não consegue aceitar o Shaun na equipe, pela sua falta de empatia com os pacientes e transfere ele para um departamento de patologia que ele não terá contato com os pacientes.


Desde então Shaun passa a querer voltar para cirurgia a qualquer custo, mas acaba discutindo com Dr. Han e ele o demite. Shaun desesperado pede ajuda ao Dr Glassman porém esse não tem muito o que fazer, uma vez que ao descobrir o câncer precisou se afastar do hospital.


Ele tem também uma grande amiga Lea e acabam dividindo um apartamento, ela é muito compreensiva com as dificuldades do Shaun o que torna a relação bem próxima. Shaun tem o apoio de todos do hospital. Claire que sempre se mostrou sua amiga o ajuda a desenvolver alguns repertórios sociais, entre eles de como chamar alguém para um encontro, ele acaba convidado a Dra. Carlin para um encontro o que o deixa extremamente feliz.


A série combate o preconceito ao apresentar uma pessoa autista, com dificuldades de comunicação para se socializar dentro de um ambiente de trabalho e a cada episódio tem um desfecho, o que nos permite não precisar assistir em sequência, pois não estabelecem conexão com outros.



Lucineide Maria Rocha é psicóloga Comportamental, CRP 06/128343 com Formação em Terapia por Contingência de Reforçamento (ITCR-Campinas). Atende Adolescentes e Adultos em consultório particular em Campinas/SP. Uma das Idealizadoras do Projeto Escuta na Lagoa. Seus interesses estão voltados para relacionamentos e autoestima, transtorno de ansiedade. Sua paixão é ajudar pessoas a viver em equilíbrio com a ansiedade.

42 views

Blog escrito por psicólogas e psicólogos de todo Brasil.

O conteúdo apresentado nos textos, assim como opiniões e interpretações sobre as séries, são exclusivas de seus autores. Não representam o entendimento de todos os profissionais.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram