top of page

Lições de vida que podemos aprender com o Dr. Frasier Crane

por Patrícia Atanes - CRP: 06/37052


Um dos personagens é um cachorro adorável chamado Eddie. Outra é uma cadeira amarela, verde e marrom da década de 1950.


O que? Como assim você nunca assistiu a um episódio de Frasier, a comédia de sucesso da NBC que foi ao ar de 1993 a 2004, possivelmente a melhor séria de TV já feita?


Pensando em sua perda diante desta época de outro das séries, farei aqui um resuminho, estilo trailer da série (aviso: tem um pouquinho de spoiler): Frasier Crane, que apareceu pela primeira vez em Cheers, muda-se para Seattle para trabalhar como psiquiatra de rádio. Ele mora com seu pai detetive de polícia aposentado Martin, o cachorro de Martin (e inimigo de Frasier), Eddie e Daphne Moon, cuidadora de Martin. Frasier gosta das coisas boas da vida com seu irmão clone, Niles. Vinho. Ópera. Artes. Benefícios de sua posição social. Até seu apartamento reflete seu gosto pela boa vida, onde ele nunca perde a oportunidade de dizer a todos os seus convidados que seu sofá é uma réplica exata do que Coco Chanel tinha em seu hoteleiro em Paris.


Não sou muito fã de comédia, porém Frasier me contagiou inclusive me levou a adquirir dois livros sobre a série. (Sou louca por livros tanto quanto por séries). Mas deixemos de brincadeiras e vamos fazer uma reflexão sobre o que nos atrai em Frasier, talvez porque seja a única série que espelha a vida como ela realmente é, sem confetes e fantasias.


Lição nº 1: As relações familiares dão trabalho.

No meio do segundo episódio, Frasier declara a seu pai que a situação de vida simplesmente não estava funcionando. Ele estava pronto para desistir. Martin, sempre a voz da razão, respondeu: "Olha, você quer que forjemos um ótimo relacionamento pai-filho, para fazer alguma conexão. Bem, esse tipo de coisa leva alguns anos, não alguns dias. É vai passar antes que você perceba." Houve alguns solavancos e soluços ao longo do caminho. Frasier e Martin começam suas brigas habituais de férias na primeira temporada. Uma luta típica de Frasier e Niles termina com Niles declarando: "Somos uma pequena família estranha, não somos?" Essa era a beleza de sua família. Eles não correram. Eles não se esconderam. Eles podem ter sido estranhos - até disfuncionais às vezes - mas sempre expuseram suas queixas. Eles nos mostraram que a vida pode ficar confusa e até mesmo as famílias mais próximas podem ser dilaceradas por conflitos. Mas eles sempre voltam. Só é preciso trabalho e uma dose extra de amor e carinho. Onde você quer que sua família esteja daqui a 10 anos?


Lição nº 2: Sempre diga a verdade. Mentir só vai te colocar em apuros - ou pior, confundir os sinais.

Martin encontra-se com um homem porque Frasier não quer arruinar suas chances com a filha do homem. Niles acaba na cama com um francês porque ninguém foi honesto sobre suas verdadeiras intenções durante um retiro de inverno em um elegante chalé de esqui. E os Cranes devem fingir ser judeus na véspera de Natal - completo com uma visita surpresa de um Niles vestido de Jesus - para impressionar a última namorada de Frasier. Agora, todas essas confusões poderiam ter sido evitadas com um pouco de honestidade. A vida não deve ser gasta na sombra de mentiras e enganos. Seja honesto com seus entes queridos. Mas o mais importante, seja honesto consigo mesmo. Mentir só vai te deixar esparramado no chão, dopado com remédio para alergia e tentando reviver um pequeno mergulhador de plástico. Basta assistir a sexta temporada para a história completa.


Lição nº 3: Seja ousado. Acima de tudo, seja sempre você mesmo, não importa o que os outros pensem.

Daphne jura que ela é um pouco vidente. Frasier e Niles não têm medo de mostrar seu lado feminino, seja com novas toalhas com monograma ou com as frigideiras de crepe retemperadas. E quando os amigos questionam o relacionamento íntimo dos irmãos, dizendo "Acho que todo o arranjo é um pouco...", eles dão de ombros. Por isso, convido você a correr riscos. Seja ousado. Seja descarado, mesmo que as pessoas levantem uma ou duas sobrancelhas. Conforte-se em saber que você está seguindo seu coração.


O Dr. Crane nos mostra um mundo onde podemos fazer qualquer coisa e ser o que quisermos. Por que devemos nos importar com o que as pessoas pensam? Estamos felizes e contentes com nossas vidas, então isso é o que importa. Simples Assim... A vida, a felicidade são simples assim.



Patrícia Atanes de JesusBernardinelli é Psicóloga Junguiana com Especialização em Terapia Sistêmica Familiar e Avaliação Psicológica, além de Psicologia Jurídica e Criminal Profiling – Psicologia Investigativa. Atende Adolescentes, Adultos e Casais em consultório particular em São Bernardo do Campo/SP. Atua em casos da vara da família ou da infância como perita e/ou auxiliar técnica de acordo com a solicitação do fórum ou de uma das partes. Seus interesses estão voltados para relacionamentos, transtornos e síndromes diversas que atingem os adolescentes (incluindo depressão, suicídio).

Sua paixão está no entendimento do funcionamento da Psique e seus simbolismos além da busca dos conceitos e preceitos psicológicos na literatura e cinema.

Além de sua colaboração como escritora no blog psicologiaemseries acompanhe seu trabalho em:

39 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page